quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Porque será

Que com a verdade se engana e
a água nem sempre apaga a chama?
.
Que o céu sem estrelas anuncia
mau tempo e os pressentimentos
nos auspiciam sofrimento.
.
Que amar é sofrer e é preciso
lutar para se conseguir vencer
.
Que para tudo existem fronteiras
e até amar tem barreiras
.
Porque será?
.
.
.
Ana C.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Erotismo=Desejo

Concebo o erotismo como a arte do desejo, da sedução.A insinuação que provoca, sem necessidade de concretização imediata.Alguém disse que não existe melhor tempero que a fome.A fome que me faz desejar roçar os lábios com suavidade no teu pescoço e ouvir o sussurrar dos teus gemidos,sentir apenas pelo toque a tua excitação, no roçar dos nossos lábios, o calor da tua respiração...aquela vontade louca que levada ao extremo acaba por nos fazer perder o controle e ter uma vontade louca de fazer sexo com paixão, descontroladamente...
Ana C.

sábado, 26 de janeiro de 2008

Sonho bom, sonho meu, desejos irreveláveis de paixão, de bem querer.De querer que alguém me queira como eu sei querer, como eu desejo!
Desejos de uma mulher adulta que apesar de se sentir confusa em muitas das suas ideias e por vezes se questionar que atitudes tomar em determinadas situações, tem a certeza absoluta do que não quer:uma vida monótona, frustrante e vazia.
Ana C.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Sentidos II


Sou feita de sentidos,
sentidos que me fazem
sofrer, por estar sempre a sentir.
Sentir amor, fome, sede...
de amar!
Sentir a injustiça, o medo e a desilusão.
Sentir a doença, a dor e a prostração
de quem não consegue deixar de sentir!
Ana C.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

A VOZ

Escuto a voz, uma voz que vem e um fio que nos une, embora separados.
Uma voz que me custa a definir se mais grave ou mais aguda, mas muito agradável, direi mais do que isso bonita!
Uma voz que soa a firmeza, segurança e que me faz feliz porque gosto de a ouvir.
Uma voz que nem sempre ou poucas vezes me diz o que eu quero ouvir mas que não fere muito pelo contrário, que me agrada pela sua forma tão decidida.
Uma voz que gosto de ouvir porque me faz bem.A conclusão a que chego é que nem sempre a distância nos faz sentir separados.
Ana C.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Desejo

Sentir o calor do fogo, fazer amor até à exaustão.
Não conseguir separar o trigo do joio, perder a noção de espaço e de tempo.
Sentir o pensamento flutuar, um arrepio na pele, o coração disparar...sentir tudo com tanta intensidade, até não conseguir sentir mais nada!


domingo, 20 de janeiro de 2008


Porque essa luz me atrai
porque me chama?
Porque existe algo
que a reclama?
Porquê tanta ansia
tanta indecisão, se
não existe razão?
Porquê tanta loucura...
Ana C.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

FERNANDO PESSOA

"Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.É saber falar de si mesmo.É ter coragem para ouvir um "não".É ter segurança para receber uma crítica mesmo que injusta."


Um dos meus poetas favoritos e uma das figuras mais singulares da literatura portuguesa.Um homem com uma grande versatilidade e riqueza interior!


Fixo o olhar em ti e não o consigo desviar por tudo o que me transmites:de alegria, prazer, vontade de viver de acreditar!Tudo o que absorvo é positivo e me faz ter vontade de lutar de novo, de crescer, de me sentir mais mulher!
Em ti o que escolheria? Tudo!
Olho-te e o desejo invade-me pois de tanto o fazer parece-me que já conheço cada pedacinho de ti. O teu olhar, o teu sorriso franco e aberto, o teu corpo, os teus braços que queria tanto que me envolvessem e as tuas mãos.Adoro as tuas mãos!
Só espero que o tempo passe depressa e que finalmente chegue o dia de as sentir percorrer pelo meu corpo...
Ana C.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Amor ou prisão?

Ultimamente tenho lido textos fantásticos em blogs de pessoas iluminadas como o Edson Marques e a B.
É reconfortante saber que existem pessoas que pensam como nós e melhor do que isso que as expressam de uma forma tão clara e brilhante como não saberiamos fazer.
Penso eu, que amar é partilhar a vida, é caminhar lado a lado mas com a consciência de que somos 2 seres e não um, com gostos próprios, com características únicas.Amar não é aprisionar, não é possuir, não é sufocar pois ao fazê-lo estamos a destruir o outro em nome de um sentimento tão sublime que se chama AMOR!
É preciso que se entenda que perdemos toda a magia quando tentamos fazer do outro reflexo de nós próprios e das nossas expectativas.


Ana C.

Obrigada B.!

Ana fui em teu blog, que lindos, que intensos teus textos.
Peço a Deus que a doença do teu filho seja breve.Que logo esteja a correr pela casa e a iluminar com um sorriso o mundo.Só as crianças tem este dom. Quanto ao teu comentário... risos. Bem entendo.Sou viciada na conquista também.
As facilidades me desestimulam.Outro dia um amigo comentou que "um dia encontraria a gazela perfeita"aquela que não se deixa nunca realmente ser caçada.
Acho que todos somos mais ou menos assim, ou pelo menos alguns.
Um beijo e obrigada pela visita.B.

Vagabundo

Sem rumo, sem norte,
sem porto seguro
Errante, navegante,
Boémio e sonhador
Vê as estrelas e
ofuscado por elas,
vai vivendo num paraíso
que se chama Inferno!

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Com amor

Com muito amor no coração fiquei logo que soube que te ia ter!Um filho nascido do querer bem, do desejo de sr feliz, a minha maior ambição.
Amei-te logo meu filho e esse amor cresceu já com o teu nome nos lábios: Gonçalo!
O nome que o teu irmão escolheu para ti, o outro grande amor da minha vida.
Mais uma vez agradeço a Deus esta benção de ter outro filho lindo e saudável.
Um filho que eu espero venha a ser também um grande amigo e companheiro!


Ana C.
(Escrito em 01/04/2005 tinha o Gonçalo 12 meses.Infelizmente a vida pregou-nos uma partida meu rico filho,não tens a saúde que a mãe tanto pediu a Deus.
Mas juntos vamos lutar e vamos ser felizes só pelo facto de nos termos um ao outro!)
Necessidade de um toque, uma mão que afague, um corpo que me abrace num gesto de carinho, uma cabeça que se encoste à minha por breves instantes,um olhar cumplice que me diga estou aqui, enfim, momentos de ternura!


Ana C.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Amar

Amar é sentir que se está vivo.
É sentir o coração bater forte
em uníssono com o de outro alguém.
É ter todos os sentidos em alerta
É sentir-se aquecer por um timido
raio de sol que fura as nuvens.
É sentir o prazer de uma brisa suave
que sopra e que nos faz arrepiar.
Ana C.

Sentidos


Corpos unidos numa cadência ritmada, gemidos sussuros, ruidos, coisas loucas...Rituais, sensuais, vorazes, com gosto a terra e cheiro a mar.Respiração acelerada, desencontrada, suspiros suor e mais gemidos, numa guerra sem ímpar,a dos sentidos!

Ana C.

Para vocês Ana e Ariane com os desejos de muitas felicidades!





domingo, 13 de janeiro de 2008

Uma angustia profunda, uma sensação desconfortante de não querer nada e tudo querer.
Que será que eu quero que de tanto querer, desespero.
A angustia é tanta, que me faz chegar às lágrimas...


Ana C.

Melancolia


Uma melancolia que me invade e me põe trémula e sensível.Quase tão sensível como um cálice de cristal que ao tocar-se se despedaça em mil e um pedaçinhos.
Uma sensibilidade que às vezes eu odeio porque me faz sentir fraca num mundo que pertence aos fortes e onde eu não tenho lugar.Qual será o meu mundo, o meu lugar?
Às vezes o ódio é tão grande que eu pergunto a mim mesma se não seria melhor ter uma pedra no lugar de um coração.
Quantas vezes eu renego este meu lado piegas que quer ver apenas as coisas belas e verdadeiras.
Porque diabo ando eu à procura da perfeição, se ela não existe?
Ana C.

sábado, 12 de janeiro de 2008

Obrigada meu Deus!

Obrigada meu Deus, porque em momentos tão difíceis me dás uma luz.Uma candeia a que me agarro com tanta força, com medo que caia e eu fique às escuras.
Sempre que me encontro à beira do precipicio, sinto que me dás a mão e com leveza me empurras para a vida e me mostras que ainda há coisas pelas quais vale a pena viver e uma pela qual eu vou ter que lutar para que não sofra como eu sofro.
Obrigada meu Deus, pelo filho que me permitiste ter e por favor, ajuda-me a protegê-lo!


Ana C.

Nascimento do meu César, hoje com 14 anos.

Sinto de novo!

Vou ser mãe!
Por vezes de tanto o desejar, julgava não passar de mais um sonho.
Um sonho que eu queria tanto que fosse realidade e que não se iria concretizar.Aliás como tantos outros!
Mas o momento aproxima-se e eu sinto de novo!
Um amor profundo que me invade por sentir este filho que está dentro de mim e que já amo tanto.
Um filho a quem eu quero dar todo o meu amor e carinho, pois sem amor a vida pode transformar-se numa autêntica tortura!


Ana C.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Amigo

Querido amigo, escrevo para ti que estás longe.Porque o mereces!Porque tens estado presente em horas tão difíceis e me fizeste rir às gargalhadas em momemtos em que as lágrimas me corriam pelo rosto!
No meio da sombra surgiu um raio de sol que me iluminou o coração: eras tu!
Meu grande e querido amigo, um oceano nos separa mas o teu coração está bem perto do meu.Obrigada por estares presente na minha vida!


Ana C.

AFECTO

Sensação estranha mas de prazer.De um prazer de quem sente algo mais.
Um rosto que se ilumina, um cabelo que brilha, uma mulher que se sente mais mulher.Mais mulher porque sabe transportar uma vida que lhe dá mil razões para viver e lutar!
O tempo vai passando e apesar da dor e do medo, ela sente-se feliz pois com o inchaço do peito que já lhe pesa e o arredondar do ventre, ela sente nascer um amor sem fim por aquele pequenino ser.
Um filho que foi tão amado , tão desejado e chorado, sem nunca chegar a ser mais do que um pequeno feto.

(Faria 15 anos em Maio de 2008)


Ana C.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Paixão







Paixão que nos põe loucos, que nos faz perder a razão, que nos queima por dentro.
Sensação estranha de que estamos num labirinto sem saída ou um  frio no estomâgo como se andássemos na montanha russa;de repente, sem esperarmos aquele abismo que nos arrasta a alta velocidade, deixando-nos o coração a bater descompassado e sem sentirmos as pernas.Uma sensação plena de prazer e que ao mesmo tempo nos tortura e nos faz sofrer de forma tão intensa, principalmente quando os olhos que olhamos não nos olham e a boca que desejamos não deseja a nossa...
Ana Casanova

Perdida




Sinto-me  perdida...
Acho até que nunca me encontrei!
Só sei que sinto, só sei que sofro, só sei que amo.
Vivo num mundo pleno de mudanças,
onde tudo se transforma e está em plena mutação.
 Só eu fico sempre na mesma
presa às minhas angústias, às minhas dores,
 aos meus amores...
Porque será tão dificil viver?
Sinto-me perdida...
                                        Ana Casanova

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Amiga Ana

Só agora peguei no PC e fui logo ver o teu email. Fiquei muito satisfeito por abrires um blog e ao abri-lo, mais satisfeito fiquei por ver uma imagem que me diz muito: LUANDA.
Obrigado por começares o blog, com este "rebuçado" para os Luandenses. É uma imagem linda... Quanto ao blog, não te conhecia os dotes que tens. Há que deitá-los cá para fora. Dar a conhecer, quem és, os teus gostos, as tuas virtudes (que tens) e defeitos (devem ser poucos), etc.
Se me deres autorização, vou fazer publicidade ao teu blog, nos diversos sites que frequento. Quando tiver mais tempo, vou lá deixar o meu testemunho.
Um beijinho grande do tamanho de Angola

RENATO SANTOS

A minha Terra

Luanda!
A terra que me viu nascer e aos meus pais.
A terra para onde foram os meus avós ainda muito novos à procura de um futuro melhor.
Não podia deixar de falar dela e do orgulho que tenho em ser Angolana.
De lhe prestar aqui homenagem.A minha homenagem singela mas sentida!
As lembranças são muitas e recordar é realmente viver.
O constraste daquele céu tão azul com aquela terra vermelha tão característica, as chuvadas torrenciais de verão mas que sabiam tão bem...
O bastar uma chuvada para tudo brotar e crescer numa terra tão rica.
Os imbondeiros seculares, as rosas de porcelana, as nossas frutas, as cores fortes, os sabores, os passarinhos tropicais, a música, o ritmo, a nossa gente.
A tudo presto homenagem e prometo: Não hei-de partir sem lá voltar!






Ana Casanova

Um passeio na praia do Guincho

Um dia cheio de sol e calor intenso e um passeio junto ao mar...
Mais um  dia bonito em que me sentia triste e cinzenta e  onde só o mar, se encontrava em sintonia com o que se passava dentro de mim, pois batia raivosamente contra as rochas.
As batidas eram fortes, tão fortes como as do meu coração e o ambiente  era de uma  intensa nostalgia.
Com o coração dorido,  ecoava em mim uma melodia..."No amor não há certo ou errado, não existe pecado.." e as lágrimas corriam-me pelo rosto,  tão salgadas como o mar...




Ana Casanova

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Liberdade

Ter a liberdade de  "dormir acordado"
sem necessitar de estar em alerta permanente
porque em qualquer minuto de desatenção
alguém vai invadir o nosso espaço.
Ter um poder de decisão próprio
que não vai ser castrado
ainda na sua forma embrionária.
Poder caminhar seguro e de rosto levantado
sem nada recear.
Poder agir de acordo com o pensamento
pois só somos realmente livres
quando o nosso pensamento chega à acção.


Ana Casanova

Sonho

Sonhei!
Como todos os sonhos, também este era um sonho bonito.
Um sonho bonito de amor, amizade mais pura, de conciliação.
Dois seres de mão dada num jardim, num país de ilusão que nunca vi e que não é só meu mas de quantos sonharam sonhos incompreendidos.
De repente, no meio da névoa, vi um campo vazio onde uma pequena flor ondulava ao sabor do vento tentanto manter as suas raízes fixas no chão e um belo alazão de pelo negro e viçoso que só de um salto, voa e fura as nuvens, em busca de novas paragens e de liberdade!


Ana Casanova

´Torre de Belém

Uma alegria desmesurada e infantil porque amanhã é outro dia ou melhor dizendo... É o dia!


Um dia que pode ser especial, de um simples passeio numa quarta-feira qualquer, a um local tantas vezes visitado, mas sempre tão pleno de encantos!


Um marco histórico de passados e presentes, carregado de um simbolismo mágico, pela calma e paz que me transmite.
Um local tão especial onde nunca me canso de voltar...




Ana Casanova

Enigmática

Um corpo que se esconde
com medo de se revelar.
Um sorriso tímido e um olhar que foge
ao cruzar-se com outro olhar.
Um rosto que se ruboriza com facilidade
tornando-a ainda mais vulnerável
Talvez por isso e de forma subtil
aparenta alguma indiferença
que não é mais do que uma máscara
para o seu interior apaixonado.




Ana Casanova

Amar

Amar é sentir que se está vivo
É sentir o coração bater forte
em uníssono com outro alguém.


É ter todos os sentidos em alerta
É sentir-se aquecer por um tímido
raio de sol que fura as nuvens.


É sentir o prazer de uma brisa suave
que sopra e que nos faz arrepiar...




Ana Casanova

Marcas

Marcas no corpo
Marcas na alma
Sentimentos!

Marcas que simbolizam momentos
Desilusões!

Marcas que marcam
um tempo que não passa
Tédio!

Marcas que me marcaram
para sempre,
marcas que não me deixam viver!


Ana Casanova

No mundo da Ana

Sonhos , desejos, devaneios, realidades facticias e fictícias, pesadelos e horrores...tudo!
Prosa, poema ou apenas frases soltas, ordenadas ou em desordem, não sei.
Necessidade constante de me explicar.A mim ou aos outros?
A primeira hipótese, a segunda ou talvez nenhuma?
Como sempre a dúvida predomina obrigando-me à colocação de mil hipóteses para chegar a conclusões.
Com as ideias sempre em turbilhão, ando constantemente numa roda viva...