terça-feira, 17 de agosto de 2010

Sentir-me



Preciso estar só
Gostar de mim
Tocar-me e sentir-me!
Lamber a minha pele
Como um animal se lambe
Num prazer solitário
Preciso gostar de mim
Porque só assim vou gostar de ti
Preciso sentir-me para te sentir
Como se estivesses debaixo da minha pele.
"
Ana Casanova

18 comentários:

mundo azul disse...

___________________________________


Só gostando de nós mesmos, saberemos gostar do outro..

Bonito, Ana! Um poema para se pensar...


Beijos de luz e o meu carinho GRANDE!!!


________________________________

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belo poema feito de sentir do fundo de ti.

Preciso estar só
Gostar de mim
Tocar-me e sentir-me!
Lamber a minha pele

Eu também preciso de me gostar.

Adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Francisco disse...

Dizer que é um poema bonito, lindo etc. são adjectivos normais que não cabem na força das tuas palavras neste poema. E, por mais que procure as palavras para dizer o que sentimos ao ler este teu poema não consigo encontrar. Por isso como costumo dizer quando leio estes belos poemas de amor: Obrigado por me alimentarem no meu dia-a-dia. Beijo grande

Manu disse...

Olá Ana!
Em primeiro lugar quero agradecer a visita e as simpáticas palavras.
Dos poetas em questão, não só os conheço como me considero amigo. Para além de trocarmos mails, costumo encontrá-los nas apresentações da Temas Originais em Lisboa. Quem sabe não estaremos todos no Auditório do Campo Grande para o lançamento do teu segundo livro?!
Beijos

tossan disse...

Puxa vida! Interessante! Vou fazer isso. Faz tempo que não sinto isso desde os meus 13 anos. Linda poesia Ana. Beijo

PS: A mãe do Sérgio (netuno) Anda muito mal em coma.

Nilson Barcelli disse...

Para o melhor ou para o pior, tudo começa em nós...
O teu poema é magnífico, gostei imenso das tuas palavras, bem sentidas.
Querida amiga, um óptimo resto de semana para ti.
Um beijo.

Daniel Ven Friend disse...

Adorei esse poema...
Talvez os sentimentos sejam diferentes; assim como os motivos e as razões... Mas entendo dessa coisa de precisar estar só para gostar de mim... lamber minha pele para encurtar caminhos e experimentar de novo antigas sensações.

Muito curioso tudo aqui... Por um instante me vi!

Mari Amorim disse...

estou passando pra te dizer,que estou saudosa,e deixar-lhe um abraço carinhoso.Saúde,paz,e alegria
Boas energias,
Mari

Angola Debates e Ideias- G. Patissa disse...

Cara Ana, segui-lhe o rasto para o devido agradecimento por juntar o Angodebates aos Blogs a seguir. Mas acabo por sair daqui um pouco mais repleto de alma pela força de seus poemas. Obrigado

dafmds disse...

Narcissus Redivivus!
Onan reabilitado!
Belo poema!
Poesia feita corpo.
Parabéns!

Ester disse...

Cara Ana,

A mensagem de suas palavras são de uma verdade incrível! Como poderemos amar o outro se não amamos a nós mesmos?
Esta também é uma afirmação bíblica: "Ame ao teu próximo como a ti mesmo",
mas o que vemos muito ao nosso redor são pessoas sofrendo com uma auto-estima baixa, desvalorizada,
Continuemos...

Meu carinhoso abraço!

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Oi, Ana!
Adorei esse poema.
Precisamos mesmo nos amar muito, pois só damos amor quando o temos.
Lindas palavras.

Obrigada pelo carinho e pelos desejos de felicidade, viu?

Beijo grande!

Daniel Ven Friend disse...

Ana...
Bom dia!
Estava lendo o que você deixou lá em meu blog. Acho um pouco difícil explicar por que acho que a amizade com mulheres é mais próxima das minhas necessidades. Talvez, pelas mesmas razões, que tu teus melhores amigos são homens. Mas acredito que a sensibilidade e a maneira de encarar as coisas tão peculiares das mulheres é que me faz procurar no universo feminino pessoas com que eu possa compartilhar sentimentos. Obrigado por aceitar o meu convite. Um bom dia aí na península ibérica.

ANIMAÇÕES disse...

Muito bonito seu poema.. sempre profundo.

Obrigado pela sua visitinha lá no Animações e também pelo seu carinho com os amigos sempre.
beijos de cá do Atlântico

AFRICA EM POESIA disse...

Ana


Primeiro nós .pois temos que ser nós os primeiros a gostarmos do que somos.

com um beijinho e desejando um feliz fim de semana...

LAGO LINDO


Lago lindo
Com água límpida...
Com patinhos
Que vão nadando...

Vão nadando...
E vão namorando...
E nas tuas águas
Vivem o amor...

Amor límpido...
Amor sem raiva...
Amor sem inveja...
Amor sem ciúme...
Porque não sabem...
O que isso é...

Só sabem...
Que nadam...
Que partilham...
Que amam...
E que são felizes...

LILI LARANJO

Deia disse...

Oi Ana, gostei muito de sua visita lá no Rumo, e gostei ainda mais das suas palavras em seu encantador espaço. Não é narcisismo, é simplesmente a única alternativa para que nos relacionemos bem, com o coração aberto, com os outros. Precisamos, como você muito bem disse, primeiro, amar-nos! Um beijo enorme, também estou aqui! Deia

Giane disse...

Hoje Ana compreendo que se não gostar de mim, se não me amar, como poderei gostar de outra pessoa, amar outra pessoa? Ninguém pode dar o que não tem...

Lindo poema. E é por escritos assim que presenteei seu cantinho com um selinho, lá no Alfarrábio.
Espero que goste.

Beijos mil!!!

Maria Luisa Adães disse...

Ana

Lindo teu poema e essa dissertação que o acompanha.

"Preciso gostar de mim,
sentir minha pele
olhar-me ao espelho
e saber quem sou.

Só assim
e não de outro modo,
posso gostar de ti"...

Peguei teu sentir e escrevi contigo.
Desculpa, mas senti...

Amei!

"Venho de Longe" me trouxe
até ti.

beijos e obrigada

Mª. Luísa