sábado, 23 de janeiro de 2010

Escrever e rescrever...a vida - Paulo Gaminha



Rabiscos, traços de um amor em construção...
Linhas avessas, desencontradas no caderno da vida
Borracha que se passa em cada contradição
Rasura que se rege em cada palavra indevida!!!

Somos senhores do destino que nos obriga a eleger...
Fugimos ao esquecimento que nos devora
Desgarramos a mão a cavar uma fuga, um amanhecer...
Gritamos aos ouvidos entorpecidos, que existe uma aurora!!!

Não queremos fazer parte deste jogo universal...
Nem queremos temer este marasmo castrador
Queremos provar aquele corpo ... o seu sabor a sal
Queremos acreditar que dentro de nós há um salvador!!!

Tomemos as rédeas da história ... com lápis de carvão
Se nascer em nós erro grosseiro ou contradição...
Voltemos a escrever ... a usurpar o papel ao escrivão
Para corrigir o erro da cobardia, consumada maldição!!!


Chamas do Fénix


http://aschamasdofenix.blogspot.com/

Poema de Paulo Gaminha, um novo amigo escritor já com o seu primeiro livro editado, "O domador de palavras".
Porque o acho fantástico como ser humano e escritor deixo aqui a sugestão de visita ao seu blog. Tenho certeza que gostarão tanto como eu.

Ana Casanova

7 comentários:

Chica disse...

Um lindo poema e dele podemos refletir bastante!Lindo domingo pra ti e tudo de bom,chica

RETIRO do ÉDEN disse...

Lindo poema
Muito bem escolhido.
Excelente fds. desejo.

Forte abraço
Mer

Unseen Rajasthan disse...

Another Beautiful Poem Humana !! Your Words truly touches !! Simply fantastic post !!

meus instantes e momentos disse...

Acordei feliz, (é uma das manias minhas)e deu vontade de desejar pra voce um ótimo domingo...
Maurizio.

* saudades daqui (lindo poema)

entremares disse...

Encalhei aqui por acaso, confesso.
E depois li.

Gostei da mensagem que tudo possa ser escrito, apagado, escrito de novo... um milhão de vezes. Gostei da mensagem que é possível errar, cair, levantar de novo.
Gostei da imagem que é possivel sempre gritar por uma aurora.

Gostei, sim.

Um bom resto de domingo para ti,
Rolando

netuno artes disse...

Lindo poema, que nos faz pensar . . .
há um trecho ( logo no início ) :
. . . " somos senhores do destino " . . . ,
será que somos ? ou será que é o destino que teima em brincar com as nossas vidas ?

bjs netunianos

As Chamas do Fénix disse...

Venho agradecer-te o mimo, a tua atenção para com a minha pessoa e a minha obra aqui no teu cantinho... obrigado amiga.

Uma Grande Chama para ti... Beijos