domingo, 17 de janeiro de 2010

Em nome do amor

Mais uma vez e porque posso ser tudo menos acomodada, senti necessidade de falar das relações e do amor, ou do que se faz em nome dele. Senti necessidade do desabafo por situações que não entendo de pessoas que considero inteligentes, fortes e que pensava com vontade própria.
Como escrevi em tempos e aqui volto a transcrever, amar não é aprisionar, não é possuir, não é sufocar pois ao fazê-lo estamos a destruir o outro em nome de um sentimento tão sublime que se chama AMOR!
É preciso que se entenda que perdemos toda a magia quando tentamos fazer do outro reflexo de nós próprios e das nossas expectativas.
Como muitos sabem e nunca o escondi, estou de novo a dar uma segunda chance à minha segunda relação. Não somos perfeitos, erramos e acertamos mas se decidimos voltar não é para ser tudo igual, é para fazer tudo diferente. Se resulta ou não é uma incógnita como tudo nesta vida mas não é por isso que vamos ter medo de viver.
Senti esta necessidade porque acho que o problema de muita gente, não o meu caso, porque eu sempre fui livre e cada vez mais sinto falta do meu espaço, porque soube o que era estar sózinha, é viver com medos de tudo e com total insegurança. Eu se tivesse que colocar uma trela no marido com medo disto e daquilo não o queria!
Óbviamente não vou falar de nenhum caso particular até porque conheço tantos...
As mulheres têem amigos mas os maridos não sabem e vice-versa. Falar, rir, brincar não é permitido mas claro que tudo acontece na mesma! Mas o que as pessoas preferem? Viver na ignorância? E porque culpabilizam os maridos se depois conheço o reverso e as mulheres fazem o mesmo? Acho que aqui algo está muito mal. As pessoas anulam-se, deixam de ser quem são, vivem apavoradas e sem qualquer tipo de motivo. Será que não entendem que quando não funciona de qualquer jeito, não é com "restrições" que vai resultar? Eu não consigo funcionar assim. Daí resultam as tais expressões quando as pessoas se casam, do "vais-te enforcar", quando uma união por amor é única. Acho que era bem melhor se tirassem as teias de aranha da cabeça e vivessem as relações como tudo na vida, o dia a dia com amor, prazer, companheirismo.
Se é para ser uma sombra, um fantoche, então o melhor é acabarem de vez com esse sofrimento!

Ana Casanova

27 comentários:

HSLO disse...

Lindaaa...seus escritos são belos.


abraços
em tua alma.

Chica disse...

Bela e profunda, além de verdadeira, tua reflexão1beijos,chica

Zeze disse...

Olá

O Amor tem dessas coisas, situações as vezes muito difíceis de interpretar ou mesmo de lidar com elas.

Beijoka

Ana Paula Duarte disse...

Linda a moça da foto :)
E sua poesia, beom, tem quê de cotidiano que me fez lembrar muiiito de mim...Nenhum sofrimento dura para sempre, só dura enquanto a gente deixa!
Amei seu blog e sua poesia, parabéns, abraço.

joyce domingos disse...

vim através do blog do querido tossan e adorei aqui ana!

''amar não é aprisionar, não é possuir, não é sufocar pois ao fazê-lo estamos a destruir o outro em nome de um sentimento tão sublime que se chama AMOR!''

vc escreve de forma intensa e bela,de uma forma clara e objetiva....

LINDA...

eu voltarei,adorei mesmo.

bjbj

prosasdeoutono disse...

Ana,

muita sinceridade e sentido da realidade.

Beijinhos
Alex

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Em nome do Amor! Lindo, Humana*

Obrigada também pela vista.

Espero que esteja em franca convalescença.

Beijos Renata pra Ana.

*Amor se aprende, não prende*

leonel disse...

Minha cara Ana! O vento ou o acaso, como assim desejares melhor ser, trouxe-me a este teu canto. Felizmente, assim o digo, e, o faço constar! Tuas palavras são de uma reflexão extensiva, e, é impossível não se permitir ir além do que elas possam a priori dizer. Eis aqui mais um franco exemplo disso que vos digo. Tua análise sobre relações é sábia, e, bem ponderada. Realmente, muitos pensam de forma equivocada, infelizmente, quando o assunto é a convivência a dois. Algo tão delicado, que deve ser aprendido e reaprendido tantas vezes se fizerem necessárias, pois penso não haver regras, mas sim um tanto de compreensão, bom senso, e, de saber ceder também. O relacionamento a dois não é uma guerra, onde a vontade de um deve sempre prevalecer. Há de se ter muito diálogo, acima de qualquer coisa, pois até mesmo o mais dissecado dos amores não resiste quando cerceado. Que cuidemos do que é bom, e, que seja bom para ambos!

Abraço!

netuno artes disse...

Texto forte e real em várias situações, eu sempre pensei e tenho convicção de que quando algum dos dois traem, é porque o outro abriu uma brecha, abriu um espaço . . . é difícilimo dizer qual a receita para que um relacionamento vingue , mas que tanto a mulher como o homem tem de ter liberdade e o melhor se sentir livre, pois não adianta a falsa liberdade, quando o parceiro criva de perguntas, de " porques " , ou fica pelos cantos olhando, indo e vindo, como se estivesse fazendo algo ( quando nada esta fazendo ) , com a clara impressão que não passa de uma
" vigia " , bem tentei acrescentar meus pensamentos a esta postagem que achei muito madura e interessante,

ps.: por falar em postagem é uma vergonha mas estou desde novembro de 2009 sem postar nada . . . rsrsrsr, mas é o que sempre digo transformar sentimentos e / ou expressões, ou até mesmo pensamentos em imagens, cores, formas , é um pouco complicado, às vezes temos vontade de registrar algo, e qdo nos preparamos para pintar, nada acontece, faz parte da arte . . . " grandes telas pintadas de vazios " , rsrsr poderia ser o nome de um livro, rsrsrsrs,
bjs netunianos

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Como muitos sabem e nunca o escondi, estou de novo a dar uma segunda chance à minha segunda relação"
há uma canção da Legião Urbana que diz " e a primeira vez é sempre a última chance, esse é o nosso mundo" vc conhece a Legião? tem algo com teus versos procure pela internet.

Me permita disse...

Olá, Ana!

Sabe, adoro conhecer pessoas... Agradeço pelo carinho! Li com atenção o teu post, interessante reflexão, e só pude me lembrar de uma frase do pe. Fábio de Melo: "O amor resiste a distância, ao silêncio e as separações e até as traições. Mas sem perdão não há amor". Acho que todo mundo merece uma segunda chance! Torço que vc seja feliz! E espero as tuas visitas mais vzs, pois eu estarei por aqui!

Um bjo do lado de cá do oceano!

Humana disse...

Ediney, já ouvi falar mas não conheço as musicas deles.
Mas considero que todos temos uma segunda chance.
Beijinhos

A.S. disse...

Venho reler-te, rever-te... e deixar um beijo!


AL

Unseen Rajasthan disse...

Hi Humana !! Beautiful Post !! I really enjoyed reading the post !! Hope you had a Great New Year Celebration !!

O Profeta disse...

O troar do trovão, esta incessante chuva
As estrelas choram todas as mágoas na terra
Onde param os Anjos, porque não nos acodem os Santos
O mal e o bem porfiam esta eterna guerra

As casas do sul ruiram todas
Tal como a esperança desesperada
Toquei no rosto de uma criança triste
Senti uma paz surgir do nada


Mágico beijo

Táxi Pluvioso disse...

É verdade, é verdade, amamos o dinheiro e, no entanto, deixamo-lo ir.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Ana,espero que estejas super bem...
O assunto abordado é polêmico, porém de grandes possibilidades...
Entender certas coisas na vida para muitos leva as vezes um tempo maior...é uma questão muito pessoal,bastante individual, que muitas das vezes nem é compreendida por alguns...
Mas ainda acredito que a vida na maioria das vezes consegue ensinar isso, mesmo que em algumas situações seja tarde para se consertar supostos estragos em nome do amor...sei lá...
Ninguem é dono de ninguem e nem podemos vigiar as pessoas a todo instante...isso é mera ilusão...
Bem...queria te fazer um convite...lá vai...

Vamos a parte colada...rs

Mudando de assunto, eu agora te convido a participar do aniversário de três anos do Verseiro, no dia 26 de janeiro.
A idéia é que cada um que queira participar, faça uma postagem colocando uma foto sua quando criança ou adolescente junto a irmãos, primos ou amigos e conte alguma passagem de sua vida nessa época, alguma travessura, algum fato que marcou em sua memória de forma alegre, engraçada...rs
Vamos comemorar e sorrir juntos...
Conto com sua presença, mas fique a vontade quanto a fazer a postagem ou não ok...

“O passado não reconhece seu lugar
Está sempre presente”

Mário Quintana

Um abraço na alma...bjo

rouxinol de Bernardim disse...

Ana:

O título correcto seria «O charme discreto da liberdade!» ou
«Multivisão do amor em todas as vertentes»...

Gostei da profundidade, da sageza, da racionalidade deste texto roçando a perfeição...

AFRICA EM POESIA disse...

Ana
Um beijo


venho agradecer o carinho que ontem recebi.
o meu dia de aniversário é um dia muito feliz para mim...
Gosto de o viver intensamente . E mais uma vez...consegui.
um beijo pelo carinho deixado É Bom ter amigos.
Agora vou preparar a festa da minha nova paixão...o meu livro do Sporting.

A vida vale por estes Momentos

Vladir Duarte disse...

Você tem toda razão... mas é que essas coisas do coração são realmente muito complexas.

Valeu!

Elcio Tuiribepi disse...

É isso Ana, postar aqui em seu blog no dia 26, obrigado por querer participar...capricha na história e nas fotos...
Melhoras para você...te cuida...
bjo...um abraço na alma

Bárbara Fiz disse...

Já vivi uma situação como essa , de aprisionamento ...
Eu continuava a viver mas as escondidas ...

Isso definitivamente nao é amor .
Ainda bem que me libertei .

Um abraço

São disse...

Mas tudo quanto diz - e com que concordo - não acontece exclusivamente no casamento.

E a Liberdade tem preço tão alto que muitas pessoas não são capazes de o aguentar, sabe?
Tudo de bom.

NEGROPOETA disse...

Mas o que as pessoas preferem? Viver na ignorância?
E isso amiga, a ignorância é o contrário do amor.

Maria Emília disse...

Muito se fala de Amor, Ana, de muitas espécies de amor, de muitas formas de amar, de liberdade...
O que sei de Amor desse amor a dois e que a Ana nos fala, foi o que aprendi nos meus quarenta anos de casamento:
O alimento do amor é o próprio amor. O amor não prende nem quer prender. Ao amor basta o próprio amor.
Um beijinho,
Maria Emília

Giane disse...

Ana;

Sempre tão bela e tão liberta.
Seu texto faz a gente pensar.
É certo, que em matéria de Amor, nunca seremos perfeitos, afinal, somos humanos.
Mas podemos - principalmente em uma relação - tentar dar o nosso melhor ao nosso companheiro, companheira e aprender a alcançar esse melhor sempre juntos.


Beijos mil!!!

mch disse...

Muito Bonito, Ana Casanova

Gostei do tom quotidiano e das esperanças mais altas !
mendo