quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Pergunta-me - Mia Couto

Pergunta-me
se ainda és o meu fogo
se acendes ainda
o minuto de cinza
se despertas
a ave magoada
que se queda
na árvore do meu sangue

Pergunta-me
se o vento não traz nada
se o vento tudo arrasta
se na quietude do lago
repousaram a fúria
e o tropel de mil cavalos

Pergunta-me
se te voltei a encontrar
de todas as vezes que me detive
junto das pontes enevoadas
e se eras tu
quem eu via
na infinita dispersão do meu ser
se eras tu
que reunias pedaços do meu poema
reconstruindo
a folha rasgada
na minha mão descrente

Qualquer coisa
pergunta-me qualquer coisa
uma tolice
um mistério indecifrável
simplesmente
para que eu saiba
que queres ainda saber
para que mesmo sem te responder
saibas o que te quero dizer

Mia Couto


António Emílio Leite Couto,(Mia Couto) poeta nascido na cidade da Beira em Moçambique no ano de 1955. Mia era o nome que o irmão mais novo lhe chamava por não saber pronunciar Emílio, no entanto o poeta refere que também tem muito a ver pela sua paixão pelos felinos. Segundo familiares, em pequeno costumava dizer que queria ser um gato.
No seu percurso de vida, abandonou o curso de medicina, dedicou-se ao jornalismo, acabando por tirar o curso de Biólogo.
Escreveu poemas, contos e romances tendo recebido vários prémios. É o escritor Moçambicano mais traduzido no estrangeiro. As suas obras foram traduzidas em Alemão, Francês, Espanhol, Catalão, Inglês e Italiano sendo também o mais lido em Portugal.
Um escritor que tem uma forma muito própria de escrever e rica em neologismos, dando novos sentidos às palavras e inventando outras.

Quero dedicar este belo poema a dois amigos, o António, "Tentativas Poemáticas" e a Isabel Monteverde "Artista Maldito".


16 comentários:

tossan® disse...

Muito própria realmente, ivejável e emocionate e diferente. Adorei, mas a poesia está dentro de você...Por isso a bela escolha. Beijo

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful words and a really nice post !! Words are really touchy !!Unseen Rajasthan

Chica disse...

Lindo poema de Mia Couto! Ficou lindo por aqui!beijos,chica

Mågø Mër£Îm disse...

As vezes um texto nos entrega respostas que jamais teriamos como encontrar... esse caso foi assim

grande beijo

prosasdeoutono disse...

Olá Ana,

Lindo poema que eu já conhecia. Pessoalmente admiro muito o Mia Couto

Beijinhos
Alex

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, amiga!
Escolha muito linda a sua. Está bem, Ana? Preocupo-me
Muitos beijos e Bons Dias sempre
Renata

MENSAGENS AO VENTO disse...

_________________________________


Realmente é um belo poema! Obrigada, por compartilhar conosco, Ana...



Beijos de luz e o meu especial carinho!!!

Zélia (Mundo Azul)

ps.- vejo você lá na Fazenda!

José Ramón disse...

Um muito original para expressar estas palavras bonitas Greetings

Zeze disse...

Olá
Boa escolha de poema!!
Mia Couto

Beijoka

netuno artes disse...

A escolha da postagem não poderia ser melhor, como todas que vejo aqui.
Gostei, gostei muito,
bjs netunianos

Efigênia Coutinho disse...

Humana, que fotografia linda do Mar, a onde fica este pedaço de paraíso?
Demorei mas cheguei...

Eu não esqueci um só de todos os meus amigos aqui, e hoje retorno, depois de muito trabalho com o nosso Site, com os 1000 Sonetos, agora poderei estar ao lado de todos , matando as saudades, que se fazem presente ao presente momento,
passa lá na minha casinha, pois tem
NATAL
para todos os amigos,
com carinho, Efigênia

Táxi Pluvioso disse...

Os verdadeiros miados vêm de Portugal, o povo que mia com a "corrupção", que mia com o défice, que mia com a Casa Pia (para rimar). bfds

MEUS PENSAMENTOS disse...

parece que elel escolheu o caminho certo um lindo poema!e vc como esta?bjs!

João Videira Santos disse...

É sempre grato ler um bom poeta e felicitar quem se lembra deles.
Beijo

Tentativas Poemáticas disse...

Querida amiga
Confesso que não tenho lido as tuas últimas publicações.
Tenho andado entretido a publicar os Contos da Guerra para depois escrever à tal editora on-line.
Acabei de falar com a Isabelinha. Já tem o catecter no peito para iniciar a quimio. Falei-lhe em ti e ela manda-te muitos beijos com agradecimento. Tens sido uma boa amiga. Tu sabes bem que há pequenos e simples gestos ou atitudes que nos ajudam (a mim ajudam) a sair à rua.
Quando chegar a altura, se Deus o permitir, hei-de ir com a Isabel conhecer-te e oferecer-te um enorme e lindo ramo de flores.
Mil beijinhos.
António

freefun0616 disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.