quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

AMANTES



Ser amante!Amante é todo o ser humano que ama, pena que seja usado de forma pejorativa.Os amantes existem e quando não existe sentimento de culpa, quando o casal namora mantendo acesa a chama do amor e da paixão, evitando cair na rotina, quando existe verdade e liberdade de amar sem mentiras ou frustrações, que mal existe?
Eu acredito na possibilidade de amar mais do que uma pessoa.Desejar, querer bem, amar, continuando a amar a outra.
Nos dias de hoje poderá ser ainda difícil mas não impossível aceitar uma relação triangular.Acho possível amar partilhando, com base no carinho, atenção e dedicação.Aceito que a questão é polémica mas o certo é que ela existe. E é ancestral!


Ana C.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

ELOGIO DO AMOR PURO-MIGUEL ESTEVES CARDOSO




O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passívelde ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios.Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.


PS Como referi vou continuar a colocar trechos deste "Elogio do Amor Puro" de Miguel Esteves Cardoso.
Porque o acho fantástico e porque estou em perfeita sintonia com a mensagem que aqui passa.

Ana C.

Para ser feliz

Para ser feliz preciso essencialmente de amar pessoas e não essencialmente que todas me amem.Seria infeliz se acabasse com as minhas amizades se desprezasse o amor mas eu só quero estar de bem com o mundo, viver em harmonia, viver com prazer.
Eu quero sentir-me bem! E o verbo sentir é reflexivo:indica acção interior.Quero estar apenas em harmonia em todas as instancias do meu ser!


Ana C.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Giuliane San Gilvan



Conheci uma mulher linda e determinada, poeta, uma força da natureza.
Não está neste mundo apenas por estar.Quer transformá-lo, apesar da luta que trava contra o falso moralismo e a descriminação.Isto porque luta por uma causa: O AMOR ENTRE IGUAIS!Mas continua a caminhar com uma força e alegria incrivel porque busca algo e luta por aquilo em que acredita.
Há quem não a conheça ou a conheça e até tenha a ousadia de lhe pedir para não revelar as suas opções.Mas eu quis! E esse querer fez-me conhecer uma mulher como eu com uns olhos de céu e um sorriso maravilhoso de esperança.
Uma mulher que eu admiro porque nos tempos de hoje ainda existe uma guerreira!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Livre como um pássaro



Ser livre!Não deixar que me tirem o meu direito de escolha.De escolher as amizades, ideologias sociais ou politicas clube ou religião.Claro que respeitando as máximas: "Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti" ou "a tua liberdade acaba onde começa a liberdade do outro".
Ser apenas o que sou por essência porque a vida é minha, as decisões são minhas e é o meu próprio caminho que tenho que prosseguir.
Claro que isso não implica ser déspota, autoritária, anti-social, arrogante ou dona da verdade.Acredito que ser livre me dá o poder da decisão mas também da responsabilidade dos meus actos.


Ana C.

Carta a um amor antigo





Encantaste-me com a tua pureza, com a tua lealdade, com a tua beleza nada convencional mas que me disse mais, muito mais, que outras belezas.
És como as coisas boas que brotam da terra, naturais e lindas por serem como são: expontâneas!
Entras-te no meu imaginário e fizeste-me sonhar, fizeste falar o meu lado mais romântico, acreditar outra vez na felicidade.
Embora completamente diferentes, somos como que impelidos um para o outro, como que por um íman que nos atrai e que nos faz ter ideiais que pretendemos concretizar lado a lado, tornando mais fortes os pontos que temos em comum e enriquecer com as nossas diferenças aproveitando o que a nossa vida passada nos pode auxiliar no projecto futuro que temos de vida em comum.

(Este sonho acabou mas como o sonho comanda a vida, continuo a sonhar...)


Ana C.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

O ELOGIO DO AMOR PURO-MIGUEL ESTEVES CARDOSO

A realidade pode matar,o amor é o mais bonito da vida.
A vida que se lixe.
Num momento,num olhar,o coração apanha-se para sempre.
Ama-se alguém.
Por muito longe,por muito difícil,por muito desesperadamente.
O coração guarda o que se nos escapa das mãos.
E durante o dia e durante a vida,
quando não está lá quem se ama, não é ela quem nos acompanha -
é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber.
É sinal de amor puro não se perceber,
amar e não se ter,querer e não guardar a esperança,
doer e não ficar magoado,viver sozinho, triste, mas
mais acompanhado do que quem vive feliz.
Não se pode ceder.
Não se pode desistir.

A vida é uma coisa,o amor é outra.
A vida dura a vida inteira,o amor não.

Só um mundo de amor pode durar a vida inteira.
E valê-la também.


Trecho do Elogio do Amor puro
MIGUEL ESTEVES CARDOSO - Crítico, escritor e destacado jornalista Portugês

Admiro a sua escrita pelo seu talento invulgar, suas críticas imprevisiveis
e na maior parte das vezes desconcertantes mexendo com as mentalidades, sendo geralmente polémico na sua intervenção.
(colocarei aqui outros trechos do Elogio do amor puro)

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Encosta-te a mim - Jorge Palma




Uma musica de que gosto muito, de um grande musico e que quero partilhar convosco.

Hora de acabar




É sempre complicado terminar uma relação.Romper com os laços que se criaram.Mas dor maior para mim é ter um estranho ao meu lado.
Quando as palavras acabam e fica apenas o silêncio, quando a mudez invade o espaço que nos rodeia, quando tudo se torna mecânico e rotineiro.Quando já não sabemos estar sózinhos porque o assunto acabou, quando fazemos sexo por pura necessidade.
Para mim essa é a hora de tomar uma atitude e assim a tomei nos meus dois casamentos.
Com dor e angustia da perda , claro.Não foi própriamente o amor-amizade que terminou, foram os interesses comuns, a cumplicidade, o brilhozinho no olhar quando nos olhávamos.
Acho que terminei na hora certa: sem guerras, sem lutas ou atitudes chantagistas.


Ana C.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Ambição




Existem dois tipos de ambição ou se calhar melhor dizendo, duas forças que a motivam:uma positiva e uma negativa.
A ambição é própria do homem e é esse entusiasmo, essa força de crescer e progredir que proporciona ao homem a evolução, as conquistas incontestáveis.Foi e é graças a ela que se concretizam os grandes feitos pois é uma força motivadora.
Existe no entanto outro tipo de ambição, a daquele que manipula e a usa como factor de destruição, nada o detendo na conquista dos seus propósitos sabendo que com isso vai atropelar ou esmagar seja quem fôr para atingir os seus intentos, desmantelando tudo o que se atravesse no seu caminho.
A ambição com sentimentos move montanhas, constroi cidades, dá os seus frutos.A isso chamo idealismo!


Ana C.



Sómente a conjugação do sexo e do coração me conseguem proporcionar o extase.
Só entendo vivenciar a loucura do prazer, com a pessoa certa, no lugar certo e no ambiente adequado pelo momento.Preciso sentir e saber dos seus anseios, os seus desejos e inclinações, sentir a quimica do amor.Preciso sentir-me amada, desejada, acarinhada, entendida, porque quando me apaixono tudo em mim é sentido de uma forma tão intensa que sinto uma alegria infantil que me faz acordar e adormecer com um sorriso nos lábios, sonhar acordada, porque para mim o amor é um sentimento tão sublime!


Ana C.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Livre de sonhar



Tenho tantos sonhos, sonhos de ir a sitios que nunca irei, de conquistar quem sei que nunca conquistarei, de expressar sentimentos que nunca expressarei, de realizar loucuras que nunca ousarei...
Mas sonhar eu posso!E os meus sonhos são sempre lindos e intensos.Neles, sou livre como as águias que planam sobre as montanhas, como a água cristalina que corre no leito dos rios ou como o sol que brilha no céu!


Ana C.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Sexo pelo sexo, não!



Hoje pude solidificar uma ideia que já tinha.Sexo pelo sexo, não!Pela primeira vez na minha vida tive uma experiência sobre a qual apenas tinha ouvido falar, lido ou visto em filmes.Realmente mudei muita coisa na minha vida em poucos meses mas há determinadas ideias e convicções que não mudaram nem mudarão nunca.Não discuto opções mas tb não aceito que questionem as minhas quando acredito piamente que estou certa.Não preciso sequer que concordem comigo porque são "as minhas convicções"!Acredito no amor livre, sem condicionalismos mas não consigo pensar qualquer tipo de relacionamento sem amizade, sem qualquer espécie de carinho ou entendimento.Fizeram-me hoje essa proposta:Queres ir para um motel?Assim dito simplesmente sem qualquer tipo de sentimento com uma crueza e frieza assustadora.Claro que a resposta foi um não peremptório.Ouvi a história dele, depois de ele ter ouvido a minha também e não nego que me chocou a forma como ele disse que fazia disso a sua forma de viver.Fazer sexo nas horas vagas e pagas pela pessoa escolhida já que não tem forma de sustentar esse seu modo de viver.Quando francamente respondi que a ideia para mim era impensável, ainda ouvi que talvez fosse da diferença de gerações pois é mais novo que eu.Pois é capaz! Devo estar a ficar velha mas prefiro isso a como costuma dizer meu irmão, meu corpo ser usado como "parque de diversões"!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Sobre o amor - NIETZSCHE




Quando estudei Nietzsche o que me encantou nele foi exactamente a forma rebelde e insolente com que desafiava as normas, a forma como pretendia "desmascarar" todos os preconceitos e normas da moral tradicional da sua época.Preconizava um homem livre e senhor de si mesmo e claro que isso se transportava a tudo na sua vida.
Aproveito para citar umas palavras suas sobre o amor que para mim fazem todo o sentido:

"o que é o amor senão o compreendermos e alegrarmo-nos com o facto da outra pessoa viver, agir e experienciar de forma diversa da nossa."

"Há sempre alguma loucura no amor.Mas há também sempre alguma razão na loucura."

Para mim, o amor é louco porque nos faz perder a razão...


Ana C.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Sobre as minhas dúvidas...

Quando falei nas minhas dúvidas referia-me a dúvidas existenciais, sobre a minha forma de ser, estar, existir.Talvez seja uma pessoa muito insatisfeita mas também penso que só assim questionando e pondo os modelos preconizados em dúvida, posso evoluir e crescer como ser pensante.Nada na minha vida é um dado adquirido, não consigo reger-me pelos códigos sociais e morais sem os questionar porque considero que muitos estão errados.Errados porque muitos deles se regem por ideias completamente ultrapassadas e inusitadas que não fazem mais sentido e quem é diferente dos outros e se expôem acaba sempre sendo julgado.E é nesse aspecto que digo que muitas vezes me sinto abalada porque por vezes fraquejo porque me sinto sózinha numa luta que sei apesar de tudo ser de muitos.Apenas é preciso ter coragem para assumir o que se pretende, o que se quer para nós próprios sem medo de julgamentos ou limitações.Como tenho referido em várias coisas que escrevo tenho tinho muitas ajudas pelo menos no fortalecimento de tais ideias ou até ideais e a prova dada está nos textos que hoje aqui escrevo o que até há uns tempos atrás seria impensável para mim.Um amigo muito querido e especial deu-me o "empurrão" e outros se seguiram.Aos poucos a coragem vai surgindo de novo e como diz outro amigo querido, espero que a Ana corajosa, determinada e lutadora, subsista à outra, tradicional, crédula e medrosa.


Ana C.

PS - Aproveitando responder a um amigo.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Dúvida





Como sempre a dúvida persiste nos meus pensamentos deixando-me quase sempre baralhada e confusa.
Por vezes sinto fugir aquele "EU", de ideias fixas e que as leva até ao fim sem ver se o preço que paga por elas é caro demais.
Aonde vão parar todas as minhas certezas?Por vezes sinto-me em terreno perigoso e os meus alicerces fortes e estáveis ameaçam ruir.Se calhar não são tão fortes, nem tão estáveis...ou são apenas fonte da minha imaginação.
Será que vou ter forças para vencer mais esta batalha?Para levar esta minha luta até ao fim?
Tal como no inicio deste meu ciclo de vida, a dúvida persiste não me deixando por vezes colocar todos os meus desejos em prática e verificar se estou certa ou não!


Ana C.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Feminilidade




Adoro ser mulher e tudo o que isso representa.Sou extremamente feminina não feminista, não confundir.Claro que defendo os direitos da mulher mas detesto todo aquele sentimento exacerbado da igualdade entre homens e mulheres.Claro que temos os mesmos direitos e os temos que defender mas adoro as nossas diferenças.
Falo da feminilidade, do nosso modo de ser, viver, sentir bem próprio da mulher.A graciosidade, a ternura e docilidade.A forma como andamos, como agimos, tocamos no cabelo de forma sensual.Dou muita importância aos prazeres dos sentidos a uma certa luxuria, ao prazer carnal...
Gosto acima de tudo de o ser de uma forma discreta. Acho muito mais interessante o que se insinua do que o que se expôem ostensivamente.Acho que isso também faz parte do jogo da sedução.Por isso falo em feminilidade no que nos distingue dos homens, porque eu gosto de um homem bem homem se é que me faço entender.É essa diferença que me atrai.Não própriamente a beleza dele mas a sua atitude principalmente quando sabe lidar com uma mulher que´o é na verdadeira acepção da palavra.


Ana C.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Amor




Porque o amor sempre me inspira e hoje é dia dos namorados deixo aqui pequenos trechos de pessoas que marcaram a história.O amor é universal e não depende de ideais sejam eles conservadores ou progressistas.É apenas um sentimento que nos invade e que todos nós sentimos.Quem nunca teve gestos irreflectidos ou disse palavras tontas por estar apaixonado?


A suprema felicidade da vida é a convicção
de se ser amado por aquilo que somos,
ou, para ser mais preciso, de se ser amado
apesar do que somos.

VICTOR HUGO (1802-1885)

Basta afastares-te de mim,
mesmo que seja num sonho,
e sei de imediato que, no
momento em que te encontras
ausente,o meu amor por ti
mostra ser aquilo que é,
um gigante, no qual se
encontram amontoadas todas
as energias do meu espírito e
todo o carácter do meu coração.

KARL MARX (1818-1883)

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

O Mare e tu - Andrea Bocelli e Dulce Pontes

DO ESCRITOR EDSON MARQUES

Acho que desta vez vou me apaixonar por quinze dias... Ou será que agora vai ser por toda a eternidade? Ou talvez por apenas duas horas? Quinze minutos, quem sabe... Não sei. Realmente, não sei. E seria leviano de minha parte fazer esse tipo de promessa. Até porque não sou eu quem determina o tempo, a intensidade e a duração dos meus amores:— É o meu próprio coração. Ele tem autonomia, é completamente livre, independente, e faz o que bem quer. Afinal, se eu todo sou livre, por que só meu coração não seria?
EDSON MARQUES/MUDE
Porque te admiro como homem, poeta, pensador!

Forma e conteudo

Raramente pensamos ou quase nunca, na importancia dada à forma dada aos determinados conteudos.Falar de formas e conteudos sem especificar de quê pode parecer muito vago ou abstracto mas independentemente do assunto a que façamos referência , o que eu reparo é que dou muita importância à FORMA!A importância dada é tão grande que talvez por isso muitas vezes entre em choque com os outros.Na vida de todos nós existem diferentes contéudos mas como humanos que somos não divergem assim tanto uns dos outros como por vezes pensamos.

Considero que a diferença maior está na forma como lidamos com eles, como os sentimos, como agimos em relação a eles.Existem tantas formas por exemplo de dizer as coisas por outras palavras, outras maneiras de agir, porque existem feridas que se provocam até com palavras e que podem ser mortais...

Será dificil ou complicado entender isto?Se calhar é por esse motivo que sou frequentemente magoada e surpreendida por coisas que são ditas de forma fria e displicente que me atingem muito profundamente.

Como é possivel que certas pessoas falem de sentimentos como se fossem uma flôr que se arranca na beira de um caminho e que segundos depois se amachuca e atira para o chão displicentemente?

Ana C.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Eterna inconformada

Hoje como aliás em quase tudo o que escrevo venho demonstrar o meu incorformismo a minha insatisfação pela forma egoista, cruel, insensível como as pessoas lidam umas com as outras.Muitas vezem me referem a minha forma de ser triste que expresso no olhar, tantas vezes na falta de um sorriso e até naquilo que escrevo.Mas eu pergunto:que vontade tenho eu de sorrir?Da maldade, da inveja, da indiferença.Vivemos num mundo-cão onde o que conta acima de tudo é passar por cima do outro, olhar para o próprio umbigo e atingir os seus objectivos a qualquer custo, a qualquer preço e sem olhar a meios. Abomino tudo isso!Onde estão os valores, a palavra de honra, a verdade, humanismo?Claro que não sou céptica nem me considero unica no mundo.Claro que existem muitas pessoas ainda que pensam e sentem como eu e aí sim , quando tenho oportunidade de as conhecer sinto-me feliz, pelo menos sinto-me menos sózinha.
E claro, existem aqueles dois grandes amores da minha vida em que incuto todos esses valores para que um dia possam contribuir para tornar este mundo um pouco melhor.


Ana C.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Navegar


Navegar ao sabor do vento por mares nunca antes explorados, navegar por puro desejo de descobrir, de explorar o inexplorado, sem saber quando ou aonde vamos chegar.Partir apenas levados pela vontade e pelo desejo,pela curiosidade e prazer da viagem a um sitio qualquer que imaginamos idilico e transcendente e finalmente ficarmos
profundamente inebriados e maravilhados com a descoberta!
*Mais uma vez tive uma força inspiradora...
Ana C.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

O beijo

Sede de um beijo nascido do desejo, surgido do olhar que não se desprende magnetizado que está pela excitação.Duas bocas que se abrem e se fundem ávidas de emoção e vontade de fazer amor sem fim...
Ana C.

O amor até há uns tempos atrás para muitos era entendido como a união de duas partes que se completavam.No séc. XXI o conceito de amor é outro ou pelo menos para alguns começa a ser pensado de outra forma:como a união de 2 pessoas que caminham lado a lado de mãos dadas.Alguêm disse que em vez de ser 1 + 1 =2 seria 1/2 + 1/2 =1.Eu confesso que já funcionei com a formula antiga mas não resultou e hoje sinto-me mais realizada pensando e sonhando que me querem e desejam como sou, pelo que sou, que respeitam a minha individualidade como eu respeito aquele que desejo pelo companheirismo, pelo respeito, pela amizade e pelo prazer!Aproveito para dizer que uns amigos novos me têem ajudado muito a clarificar as ideias...

Ana C.



Sou tão impulsiva, tão arrebatada nos sentimentos e emoções que acho que acabo por afastar o alvo de tanto desejo.Não o consigo entender já que adoraria que me desejassem dessa forma louca, expontanea e avassaladora.Que a razão desse lugar à loucura, ao lado meramente carnal que existe em nós.Se calhar sou louca...talvez...mas é tão bom quando me sinto assim livre e solta!!!

Ana C.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Felicidade


Ser feliz o maior sonho e o maior desencanto.Mas o que é ser feliz, quem o é?Será que a felicidade existe?
A sua força é grande para mim por ser a força motriz de toda a minha existência, algo que busco incessantemente.Ainda não consegui foi encontrá-la nem sei onde ou sob que forma.
A única coisa que sei é que houve alguém que disse que o simples acto de nos questionarmos se somos felizes, indica que não o somos!
Ana C.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Nós duas

Iguais por fora, ás vezes mas cá dentro poucas vezes nos encontramos.
Vivemos encerradas no mesmo corpo e ao contrário das leis da física, embora diferentes não nos atraímos, repelimo-nos!
Uma é realista, rígida, perfeccionista, a outra, idealista, sentimental, sensível.
Se uma quer lutar, soltar as amarras e enfrentar o mundo,rejeitando o tradicionalmente instituido, logo a outra se "encerra" e se apresenta conservadora e defensora dos valores morais que lhe foram incutidos.
Qual será a altura em que as duas vão saber coexistir?
Ou será que num dos raros momentos em que ambas se encontram, uma vai aniquilar a outra?
Ana C.